12 de mai de 2015

Prosa perdida

    Tem dias que eu só queria não aparecer. Esquecer-se de tudo, de todos, do mundo. Não saber o que tenho que fazer, ou o que deveria ter feito.Tem dias que eu queria mesmo era te apagar da minha vida. Explodir com uma bomba. Amar como uma tonta.
    Tem dias que eu só queria ser o que eu pensei que seria. Enquanto, eu sou. E assim, vou indo. Até chegar a outra armadilha, e talvez, dessa vez não ser trouxa e vazia.Tem dias que eu queria esquecer o teu sorriso. Lembrar só teu choro, sereno, agudo e sadio.Lembrar tuas curvas, teu cabelo, teu cheiro. E assim, esquecer aquela parte ruim. Sem drama nem medo. Como se fosse só isso.
    Tem dias que queria ser como a água, somente. Para alguém girar a torneira, e eu sair assim, de repente. Encher. Completar. Saciar. Transbordar. Mas tem dias, que quero ser como fogo. Ardente. Tão quente, que some. Vira fumaça. Transforma. Abraça. Tem dias que eu queria mesmo era fugir, então lembro que isso…eu já fiz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário