30 de abr de 2011

Eu estou cansada;

Estou cansada de pessoas que enxergam apenas aparêcias, e esquecem da nossa essência.
Mais tarde do que nunca talvez, digo que não me importo.
Pouco me importo com tão pouca coisa, que pode ser até inconveniente ao ver de um lado geral.
Eu não suporto isso. Não gosto, e não quero nem saber o que eles vão dizer.
Mudar o mundo sei que sozinha eu não consigo. Arrumar os meus defeitos, não, porque eles fazem de mim o que sou, assim como fazem de tais.
Mas e agora?
O que eles irão dizer quando seus filhos os perguntarem "quem são estes?".
Os hipocritas que se arrependeram ao caminharem sozinhos irão responder:
- Eram nossos amigos, mas os perdemos por nosso imbecil futilidade.
Por isso dizem que amizades são frágeis, mas se não fossem; apenas não existiriam.São como cordas de violão, depois de quebrá-las podemos arrumá-las mas mesmo assim nunca mais terão o mesmo som.
É só não quebrá-las, porque se não ficará como um coração magoado, e assim ele viverá feliz até que alguém o quebre.
O cansaso é a forma de dizer que não aguentamos mais essa hipocrisia do ser humano.
Esse ser, que não é capaz de fazer nada, nem humano é, não sabe é vida, e  tão pouco sabe o que são sentimentos.
Não sabvem compartilhar momentos, e nem ter amigos, é tão fútil ao ponto de fugir da vida, para julgar - julgar coisas ridiculas, não sendo assim críticas contrutivas para mostrar algo, não, isso se chama prepotencia.
Prepotencia, banal, absolutamente incapaz de dizer que é feliz, porque adora controlar o mundo.
O mundo este, que infelismente não é mais o mesmo.

"Eu estou cansada de fazer pelas pessoas, o que elas não fariam por mim".

21 de abr de 2011

Outra diferença:

Eu prefiro ser diferente se o que é considerado normal for ir em festas todas as noites e dançar uma música em que alguém fala que eu sou um objeto, ou que odeio o mundo.
Eu prefiro ser diferente se o que é considerado normal for beijar qualquer um que aparecer em uma festa para me auto-denominar ou para me sentir importante por um minuto. Eu prefiro ser diferente se o que é considerado normal for não ter nada na cabeça.
Eu prefiro ser diferente caso tenho que valorizar as coisas que mais repúdio nesta vida: a falsidade e a hipocrisia.
Eu prefiro ser diferente, se comprar compulsivamente para verem que eu posso, é considerado correto.
Isso realmente é deprimente.
Eu não sou diferente, mas ao meio de pessoas corruptas e hipócritas me torno por fazer as coisas certas?
Infelizmente, sim.
E agora, será que existe alguém mais diferente que eu?

18 de abr de 2011

Senti.me ?

Sentimentos são confusos, inesperados ou até inconvenientes.
Eles se alimentam de coisas pequenas (fofas) e ali crescem.
Ao contrário do que falam, eles não surgem do além, apenas que sejam à primeira vista ou completamente paixões platonicas, por exemplo.
Mas o que eu realmente gostaria de entender é o porque sempre queremos explicar tudo. Tudo tem lógica?
"Confuso, ou perplexo demais?"
Acredito (não acho; ninguém acha nada), que se nós próprios, nós seres, imperfeitos e contraditórios não nos entendemos como um outro ser mais diferente vai conseguir nos entender?
Então, não fale que você ama, sem amar. Não sorria quando estiver com vontade de chorar.. Faça o que tiver vontade. Se quiser chorar, chore. Se quiser rir, ria. Se quiser dançar, dance. Se quiser gritar, grite. Se quiser andar na chuva, ande. Se quiser sair, saia! Se quiser falar um ''eu te amo'' fale, desde que seja verdadeiro, caso contrario, você pode magoar as pessoas, e brincar com os sentimentos dos outros, não é nada legal.
Enfim, faça o que você tiver vontade, pois nenhum de nós  sabemos o dia de amanhã. Viva cada momento como se fosse o último, por isso não esqueça que as escolhas são suas, bem como as conseqüências também serão.

Desligue-se:

Da TV, do virtual, do sobrenatural. Desligue-se dos amores passados, das amizades perdidas, das mágoas, dos problemas, das obrigações, dos medos, de você.
Encontre-se. No coração, na mente, na alma.
Encontre-se nos desejos proibidos, nas vontades passageiras, nas vidas passadas, nas pessoas que tem algo pra compartilhar. Seja. E antes de ser dos outros, seja seu; Seja a sua melhor companhia, seu melhor amigo, seu melhor amor. Se baste. E então ame. Ame verdadeiramente, intensamente, insanamente quem ama você. E não se poupe. Não de importe, não se oprima, não se iluda. E vida. Vida como o infinito.

13 de abr de 2011

Deve ser assim?

?
Ter um blog é extremamente interessante, é algo que no começo te prende de certa forma.
Alguns blogs tentam justificar isso dizendo que são como fases de adolescentes (que sempre passam com  o crescimento), como querer postar todos os dias, querer ter visitantes e aquela velha história.
Eu não sei se isso é algo bom, mas não me sinto presa aqui.  Afinal, o meu blog não é uma obrigação.
Sinto-me feliz quando recebo elogios, sinal que gostam do que escrevo; mas mais feliz quando recebo criticas (construtivas), e isso me faz pensar cada vez mais o que têm de tão perplexo em blogs.
Creio que não é a aparência, nem profissão, nem idade (até porque a idade está na cabeça), isso pode até influenciar, mas não predomina tudo - isso pode até ser pelo fato de me importar com o mundo, e cansar de falar que ainda existem pessoas boas, que têm corações, e que o mundo são esses "seres" que o fazem como é.
Por isso tenho um blog. Para ser lido, não usado como sensacionalismo banal, destruindo e corroendo a imagem de outro ser, tão imperfeito como nós mesmos.
É como se aqui dessem importância para o que eu penso. E não deve ser usado para degredar ou ofender, ou muito menos para mostrar alguma coisa para alguém.
Se eu mesma não me entendo, como alguém vai me entender?
Uma boa justificativa, que os jornalistas da Rede Globo, por exemplo, distorcem.
Como sempre a mídia propriamente se dedurou, porque coloca os fatos como ela quer, e não como eles realmente são, do meu ponto de vista.

10 de abr de 2011

Não entendo:

“Não foi nada. Deu saudade, só isso. De repente, me deu tanta saudade.” (Caio Fernando Abreu)

Porque as pessoas gostam de ouvir músicas com as palavras que elas têm medo de dizer. Mesmo assim gostariam de ouvi-lás.
Alice no País das Maravilhas mostra isso, como uma história linda e com um certo paradoxo, confuso, e que nem todo mundo percebe claramente.
"Alice: Quanto tempo dura o que é eterno?
Coelho: As vezes, apenas um segundo."

Por isso prefiro dizer que tudo pode ser infinito.
Digo, tudo.


Simplesmente:  
"Eu não sei dizer
O que quer dizer
O que vou dizer
Eu amo você
Mas não sei o quê
Isso quer dizer..."
(Lenha)

8 de abr de 2011

Velha novidade:

Não poderia deixar de postar a última novidade que percorre nos blogs do país.
Eu verdadeiramente não entendo como uma pessoa pode fazer mal à outra, insanamente. O massacre das crianças indefesas do Rio, causadas pelo jovem pertubado.
Sei que isso é muito pessoal, e no entanto sentimentalista, não sou apelativa, mas decidi postar sobre o assunto.
Hoje li a carta que o infeliz rapaz deixou; não consigo compreender como uma pessoa pode fazer um estrago imenso. Penso agora nas familias que perderam suas crianças, indefesas, e até nas pessoas que viram a crueldade dos fatos. Isso sim é muito preocupante. O bullying chegou como uma catástrofe desta vez, afinal, quem imaginava que ia chegar ao Brasil (a matança que aconteceu nos Estados Unidos e na China).
Admirei as palavras da presidente Dilma, que se emocionou e decretou luto de três dias ao país.
Palavras e situações rodeiam a minha mente, enlouquecidamente e me perguntam:
"E agora?O porte de armas ilegais continuará assim?Quantos inocentes terão que pagar, por uma atitude?"


Ninguém sabe.

3 de abr de 2011

Percebe-se:

Percebe-se que o notar é tão obvio que se torna esquecido no meio de tanta futilidade.
Como é incrível a maneira como as pessoas se transformam quando precisam de você, chega a ser patético, se torna ridículo.
Imaginem quando esse ser crescer, em termos de maturidade- o que vai sobrar, depois de tanta hipocrisia?
O senso comum (que nem existe) numa cabeça dessas.
Digamos que vamos culpar a educação, ou  a vivência, convivência, sei lá o que seja. E tens o que culpar? Ou só fala pra dizer que se preocupa?
Sem generalizações por favor, apenas diga-me com o que a sua mente se preocupa?
Com o aquecimento global, se jogas papel da bala no chão. Com a educação, se só olha para os filhos dos outros. Com a futilidade, se é pior que uma criança.
Digo isso porque vejo, e sei que não sou assim.
'O ideal seria se todas as pessoas soubessem amar como sabem fingir.'
Aí o mundo não seria este, porque o fato de dizer:
- aaaah, grandes merda. '
Não significa absolutamente nada, ou seja, podem até dizer isso, mas tem mais consciência de quem fica fazendo ceninha de preocupação, e não faz nada para mudar isso.
Ah, me poupe.

2 de abr de 2011

Ninguém entende...

Literalmente, ninguém entende o que eu digo.
As vezes nem eu digo, nem entendo, é completamente muito confuso.
Mas, penso que saudade é não saber.
Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche, não saber.
Não saber como não sentir, não parar de pensar e não conseguir fugir.
Não esperar nada, para não se surpreender cada segundo mais.

1 de abr de 2011

Mais uma do amor:

Soneto do Amor Total


Amo-te tanto, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.
Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.
Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.
E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.
Vinicius de Moraes

Como disse, não procuro definições (as vezes necessito de explicações), mas procuro viver intensamente a cada momento.
Não sei o quanto a felicidade influência nisso, mas o amor torna-se controlável e imediato, talvez pelo fato de amar demais como sugere o soneto.
Um bom autor não fala, sugere. Não diz o que sente, não explica, mas confunde. Não define, vive. Não se arrepende, ou morre ou fica feliz. Não tem escolha.
Dizem que todos nós somos capazes, não duvido, mas não é seguido a risca porque as pessoas se subestimam. Acredito até, o tanto quanto cada uma dessas pessoas são felizes.
Sabe que comecei a acreditar nos seus ideias, por isso dizem que almas gêmeas existem, pois elas são diferentes e se completam (não gosto da teoria das laranjas, porque nenhum - digo, jamais, nunca - nenhum ser humano será igual).
As pessoas felizes não são aquelas que demonstram tal, são as que aproveitam as coisas pequenas, e imensas, como o amor.
Eu sei que isso é inevitável (mas eu verdadeiramente não gosto de me contradizer), admito que voltei atrás do que já tinha afirmado, tanto que a amizade não existem, ou que o amor e o mundo são hipócritas diante do ser.
Hoje enquanto caminhava pela rua solitária e certamente vazia, percebi mais uma vez que o mundo pode se transformar em muitos, em um olhar, um segundo.
Não precisamos de brigas, precisamos de amor. Não queremos discussões, queremos ideias. Como diz a filosofa: "no momento, temos mais o que unir do que dividir, meus caros irmãos".
Eu não explico, eu não idealizo, eu critico e vejo; como todos, invariavelmente como todos, com outros olhos.
Depois que inventaram essa nova moda, ou nova tendência das pessoas serem como a mídia quer, o mundo não é o mesmo. Não me digam que isso é "caretice" ou "preconceito" (um pré-conceito), porque não é.
Digam se os valores são os mesmos? O respeito, a educação, as crianças?
Ou analisem o simples amor do ser humano - aí me digam, se a felicidade não mudou também.

Com Certeza...

De joelhos não é maneira de ser livre
Levantando um copo vazio, pergunto silenciosamente
Todos meus destinos aceitarão aquele que sou eu
Então eu posso respirar ...
Tal como a gravidade, são esses lugares que me puxam
Se alguma vez houve alguém para me manter em casa
Seria você...


Todos que encontro, em gaiolas que compraram
Eles pensam sobre mim e minha vida errante, mas eu sou o que eles nunca pensaram
Eu tenho a minha indignação, mas sou puro em todos os meus pensamentos.
Eu estou vivo...


Deixe comigo que eu encontro um jeito de ser
Considere-me um satélite, sempre orbitando
Eu conhecia todas as regras, mas as regras não me conheciam
Com certeza.
(Sussurrando)

Guaranteed
Eddie Vedder