13 de jul de 2011

Pessoas felizes e sinceras;

Podemos supor que quando nascemos, temos um destino em nossas mãos. Dentro de todas as suposições, nenhuma é definitivamente correta, ou seja, comprovada.
Acho que a felicidade é só mais um ponto de vista, dizem que a felicidade não se encontra, mesmo assim perdemos o nosso sagrado tempo nessa procura infalível e medíocre, de vez enquanto.
Somos felizes sem saber, e sim temos momentos ruins, e muitos ruins, mas isso tem sempre dois lados - afinal todo ser humano tem uma alma e uma vida - e pode ser o lado bom: acordar e enxergar com os nossos belos olhos a vida, a nossa vida.
Cada um tem a sua vida, os seus ideais a sua fé. Independente de influencias, porque os tristes influenciaveis são como bactérias que dependem de algo; e um ser humano que se sujeita e depende de algo não vive, se esconde, se reprime, se rebaixa, se humilha, se supõe e o pior se esquece que tem como viver sem fazer mais nada.
Todos estes seres passam por inúmeras coisas, as quais têm conclusões definidas, pessoais e invariáveis.
Se eu fosse escrever tudo, perderia qualquer fundamento idealizado - os poetas falam por mim, e mais que isso, as vezes definem o que eu não seria capaz de descrever.
A escrita é uma idealização transversal idealizada pela alma de quem pega uma inútil caneta e um velho papel. é preciso coragem. Não que seja algo anormal, mas é vista como se só os velhos pudessem escrever as bobagens que fizeram - a sua vivência comum.
Os jovens vivem, também morrem, também sentem e podem escrever.
É como se o papel fosse o meu consolo em  pensamentos, e as palavras fossem lágrimas, inferiores.As expectativas são boas, mas eu não me importo com o que querem, o que eu vejo eu sinto, e isso não muda nada. O meu lado muitas vezes rebelde, agressivo ou maneira de expor as palavras depende de mais um ponto de vista - e isso eu não ligo; eu também não obrigo a ninguém a concordar com nada do que eu digo.
Se eu não demonstro, é porque eu não consigo, eu não vou fingir, mas nunca disse que não sou feliz. Eu sou muito feliz, do meu jeito.

A minha alma grita, meu coração suspira.
Um turbilhão de pensamentos e um vazio profundo tomam conta de mim.
Essa é a minha felicidade, que nunca será explicada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário