27 de jun de 2011

Depois de algum tempo...

Foto: internet
Serias bem mais fácil sorrir, fingir ou esquecer. Perder o equilibro, parar de pensar e viver; fazer e acontecer, se aparecer, se desfazer. Isto não, não é nada bom.
Mesmo assim prefiro palavras confusas e minhas contradições, pelo menos elas não me criticam.
As palavras como dizem os poetas, são palavras que são jogadas ao ar - e interpretadas de acordo com a ignorância de quem ler.
Ninguém é obrigado a ler ou escrever, e se for é pior porque não vai ser uma coisa produtiva que seja desejada involuntariamente, ou seja, que faça falta, e que tenha o temor de escrever, não importando com o que seja.
Já ouvi dizer que ninguém sabe escrever, que existem pessoas que não escrevem e só colocam palavras soltas que nem sabem o seu significado.
Eu não tô nem ai para o que falam, se falam é porque se importam, e se importasse tanto não deveria ser com criticas ridículas e desleixadas. Escrever não é colocar palavras perfeitas, a escrita vêm da alma; e a alma cada um têm a sua. Indiferente, cada ser é um só; e cada só leva consigo muitos e poucos a vida toda, ou nenhuma vida.

Um comentário:

  1. Estamos aguardando sua poesia para o Projeto" Poesia de Carona".
    Um abraço.
    Ronaldo Gomes
    http://www.poesiadecarona.blogspot.com/

    ResponderExcluir