13 de jun de 2011

O passado e a perfeição:

Dizem que o passado sempre deve ficar somente no passado. Eu evidentemente não discordo, nem retruco - apenas acho que o passado sempre será o reflexo do futuro presente; no que estamos, o agora.
Pessoas que vivem se arrependendo de tudo, lamentado por cada instante de suas vidas não deve nunca ter dado o devido valor para o ar puro que podemos respirar, ou as pessoas que amamos e estão ao nosso lado.
A vida não é curta, ela é largada e mal compreendida, desleixada por estes seres; que ao invés de viver sofrem, choram e lamentam.
Isso não me interessa, pois tão pouco sei o que quero para mim, tão quão todos nós.
Seres indecisos, e que adoram reclamar.
Claro, obviamente as infelizes circunstâncias da vida mostram que o mais ideal é achar defeitos (mesmo assim não nos torna melhor, os puros e reais imperfeitos).
E isso, complexamente mexe com o meu lúcido pensamento, ou seja, quem vive em busca da perfeição, não vive, procura se perdoar a cada ridículo tropeço, erro, ou empurrão que leva - afinal, não se deram por conta que a vida é exatamente feita disso, erros e acertos. Extremamente é isso que todos precisamos, aprender a abrir os nossos lindos olhos para ver o lado bom de tudo, até dos erros mais cruéis que cometemos, são deles que veem os ensinamentos.
Involuntariamente me lembro do filme Cisne Negro: uma critica ao ballet clássico, que por sua vez é uma força suprema à perfeição, cuja não definida, mas muito bem elaborada.
Sinto que o filme ao invés de se deter na critica e analise profunda que poderia ter desenvolvido, apelou de forma influente, levando o foco principal a decair, deixando-o como um ato insignificante.; Uma pena, pois a ideia de criticar é algo supremo, pois nela enxergamos tudo de todas as maneiras possíveis. Aprendi isso, e sabem que uma boa critica não se baseia em palavras contraditórias e soltas da boca pra fora. Para criticar é preciso primeiro conhecer e depois discordar com algo, mostrar o ponto de vista incomum. Muito difícil, expressar-se contra.

Exatamente isso porque não gostei do filme.
Mesmo assim, como tudo têm o lado bom e ruim; o lado bom foi que tudo que é ruim pode pior, sim, mas também pode melhorar e muito - e a imperfeição é o caminho mais pleno e sucinto para a perfeição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário