27 de mai de 2011

Destinos corroídos;



"Não me importo de tentar ajudar as pessoas — se elas não sabem corresponder, é problema delas. Não é por isso que vou virar uma naja." Caio Fernando Abreu

Já tinha comentado que o acaso não existe - ele se transforma.  O acaso vai sempre aquilo que era para acontecer e não acontece, porque não o vemos, o que esperávamos do mundo? Talvez.
Eu também não sei esse tipo de coisa.
A minha vida deu um giro de cento e oitenta graus e se vocês quiserem que eu me situe tão rápido não vai ser fácil. Francamente, eu não sou um gênio, mas não preciso ser considerada um jumento, afinal, voamos de pé no chão - o que desejamos não cai em nossas cabeças do nada - precisamo correr atrás, como sempre - com dignidade e vergonha na cara. Pelo menos que eu saiba, a humildade ainda não foi extinta do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário