23 de mai de 2011

Inconstante loucura:

Foto: internet
Na realidade, crua verdade, inconstante loucura, o que importa não são quantas pessoas dão "oi" pra você quando procura-se saber quantos amigos têm, quantas telefonam pra você, nem o que você faz ou deixa de fazer (mesmo assim você continua pensando).
Não é a sua aparência, nem os seus sapatos, nem seus cabelos, nem a cor da sua pele, onde você mora, que esporte você pratica ou o colégio que frequenta.
O importante não são suas notas, nem seu dinheiro, suas roupas ou se passou no vestibular em primeiro lugar (isso é o seu futuro, planejado, sonhado ou desejado).
Na vida, no presente - no agora -  o importante não é ser aceito ou não pelos outros. Na verdade, o importante é quem você ama e quem você fere, é como você se sente em relação a si mesmo, é confiança, a sua felicidade, é ficar do lado dos amigos e substituir o ódio por amor.
Mesmo que erre, inconstantimente vai sofrer, chorar, brigar, se arrepender ou não -quem decide os seus sentimentos, é apenas você - e não a reação deles. O que você sente não é o que transmite. Isso é dstindo, e torna-se insignificante pois, nem todo mundo mostra o que tem por dentro, mas podemos encontrar quem mostre o que não tem. E é o que você diz e o significado das suas palavras. A intenção delas. É gostar das pessoas pelo que elas são e não pelo que têm, fingem ou pretendem ser, isso é o importante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário