22 de dez de 2010

O meu signo:

Dentre os doze signos do Zodíaco, não há outro que seja tão alvo de preconceito contra o meu signo, Escorpião. Digamos que "é de Escorpião" aquele que nasceu entre os dias 23 de outubro e 21 de novembro, mas isso varia de ano para ano. Quem nasce neste período, já deve ter passado por mais de uma vez pelo seguinte episódio:

-Qual é o seu signo?
-Escorpião.
-Ai, que medo! ou -Misteriosa!

Mas, afinal de contas, qual o motivo de temor que instiga a este constante tipo de declaração?
O fato é que, segundo Alexey Dodsworth - Astrólogo há mais de vinte anos, disse que Escorpião representa a morte. Não apenas a morte física, mas todo e qualquer tipo de "fim". É através deste signo que somos continuamente lembrados de que somos mortais e que tudo, por melhor que seja, um dia acaba.

De certa forma, aqueles que nasceram com o Sol em Escorpião (ou o ascendente ou a Lua neste signo) possuem consciência precoce de que todas as coisas acabam. Em alguns casos, a pessoa se deixa dominar por esta percepção aguda, e passa a vida oprimido pelo peso melancólico de que todas as coisas encontrarão seu derradeiro fim, cedo ou tarde. Mas para o Escorpião mais amadurecido, tal consciência se converte num poder muito especial: o de transformar não apenas a si mesmo, como todas as outras pessoas ao redor.

Como ocorre em todos os signos zodiacais, há aspectos sombrios e nobres em Escorpião. Os aspectos mais sombrios dizem respeito a emoções por demais densas, ressentimento, mágoa: o mal feito dificilmente é esquecido, e este rancor envenena a pessoa por dentro. Já a nobreza escorpiana se manifesta quando o tipo - com o passar dos anos - alcança o nível superior de seu arquétipo: a Águia. A Águia vê todas as coisas a partir de uma perspectiva extremamente superior, e para isso conta com seus olhos poderosos, que a tudo enxergam. No Escorpião que se torna Águia, nada passa despercebido. A capacidade de análise crítica e o senso de profundidade tornam este tipo ao mesmo tempo fascinante e difícil de se conviver. Com Escorpião, afinal, é tudo ou nada, é quente ou frio, jamais morno. A vida é levada a partir de seus extremos, para que assim os potenciais possam se realizar plenamente.

Regido pelo planeta Marte em seu domicílio noturno e por Plutão como regente moderno, Escorpião reúne em si mesmo a persistência e a resistência para lidar com intempéries"Regido pelo planeta Marte em seu domicílio noturno e por Plutão como regente moderno, Escorpião reúne em si mesmo a persistência e a resistência para lidar com intempéries" e, por conseguinte, ajudar outras pessoas a passar por momentos de crise. É no oitavo signo do Zodíaco que se realiza a descoberta da própria força interior, e descobrimos que somos capazes de muito mais do que sequer podemos imaginar. E, aqui, é impossível não deixar de apontar para o fato de que as mortes, os finais e as perdas são as garantias de que não seremos escravizados nem por nossos apegos. Entender isso pode causar alguma dor no começo, mas é uma compreensão libertadora!
"Os acontecimentos, ao invés de destrui-lo, deixam-no mais forte." - essa foi a minha conclusão de ser escorpiana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário