31 de dez de 2010

Ano de 2010

Esta será minha última postagem do ano.
Deste ano de muitas alegrias, conquistas, decepções, tristezas, lágrimas e puro destino.
(Destino?) – sim, ele que sempre faz a nossa vida ficar mais emocionante, imprevisível e as vezes frustrante, mas se o ano de 2010 não fosse como foi?
Diria, que todos nós fizemos muitas escolhas durante os trezentos e sessenta e cinco dias do ano, e isso valeu a pena?
Quem não aprendeu a “conviver” com as escolhas nunca vai aprender a viver, porque no final todos sabemos que não somos perfeitos, mas pra quê deveríamos ser, se o imperfeito é bem mais emocionante às vezes torna-se até bizarro, de tão engraçado que os nossos erros se tornam.
O perfeito de um ponto de vista geral nunca existiu, e ao teria nenhuma razão. Uma pessoa que não erra não aprende com os erros, e no futuro vai rir por ser imaturo ou covarde?
Não importa, cada um planta e colhe no final das contas. Cada um faz a sua escolha e arca – sempre foi assim, e porque deveria mudar agora?
O amadurecimento é individual e não depende da idade, mas das atitudes.
Porque eu posso ter catorze e você quarenta, se você pensa como uma criança de nove anos.
Isso é a razão da vida, como diz aquela música “de nada adianta se você não mudar”, ninguém irá mudar por você.
Isso é uma plana visão de 2010, as nossas singelas atitudes refletem no enorme espelho da vida e podem ofuscar ou endignar muitas pessoas.
Então, não fique pensando no que virá em 2011, o destino sempre muda os planos.
Só não faça escolhas erradas, cresça com elas, faça delas à eu favor, sem usar as pessoas, sem hipocrisia, sem mais mentiras e sem covardia, apenas seja você mesmo e deixo o futuro decidir se você será feliz ou não.

Para os bons momentos, gratidão. Para os maus, esperança. Para cada dia, uma ilusão. E sempre, sempre, felicidade. É o que te desejo neste ano novo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário