17 de jan de 2011

Do dia: ∞

Infinito não é tempo, mas intensidade. 
Infinito não é e não tem a obrigação de ser eterno. É leve e fácil de carregar dentro do peito. A promessa do eterno, pelo contrário, sufoca, oprime, agride, confina e acaba. Não suporto isso. Não suporto o medo da obrigação das pessoas. Gosto e quero a imprudência do não saber, do arriscar, do viver sem a corrente do depois.. Até mesmo porque o depois não existe sem o agora. O dia de amanhã é feito do de hoje. E é assim que digo que, em minhas crises de altos e baixos da minha vida, a única palavra que me vêm a mente quando penso no amanhã é infinito, com ele tenho a certeza se a vida acabar amanhã os meus momentos serão infinitos e vividos. Talvez porque o infinito seja algo, que em algum aspecto, não tem e nunca vai ter limites.

Nenhum comentário:

Postar um comentário